Cintilografia de corpo todo com Gálio 67

Cintilografia de corpo todo com Gálio 67

Whole-body Cintigraphy With Gallium 67

Esse exame ainda muito mais barato do que o PET SCAM ou PET CT é muito utilizado para detectar e acompanhar uma infinidade de doenças, abaixo vou dizer como é feito e em seguida para que ele serve.

Normalmente o exame é feito em 3 dias.

No primeiro dia o paciente recebe uma injeção com o contraste de gálio 67 na veia. Também é orientado a tomar um laxante e bastante água nos próximos 2 dias.

No segundo dia o paciente retorna e é colocado deitado no equipamento que vai fazer a varredura do seu corpo e colher as primeiras imagens. O exame dura em torno de uma hora, é bem tranquilo o equipamento é bem silencioso e o único problema é você ter que ficar imóvel amarrado à uma plataforma estreita o tempo todo, a gente sai doído do exame, mas só isso.

No terceiro dia são colhidas novas imagens desta vez em pontos mais específicos, é muito parecido com o primeiro dia mas podem ser necessárias imagens das mãos e braços como foi o meu caso e estou divulgando no vídeo abaixo.

Os resultados e laudo sem em aproximadamente 5 dias após feito o exame todo.


Cintilografia com Gálio 67 pra que serve.

Uma cintilografia com gálio 67 (também chamado de Gálio 67 SCAM) é um exame da medicina nuclear que utiliza um marcador radioativo para obter imagens de um tipo específico de tecido ou se o tecido apresenta uma doença e seu estado.
São empregados sais de Gálio como o gálio de citrato e de gálio nitrato. A forma em sal não é importante, uma vez que o íon do gálio é dissolvido livremente Ga3+ que é ativo. Para estas aplicações, o isótopo radioativo de gálio-67 (67Ga), que tem uma vida de 3,26 dias, é usado.

O Exame do Gálio-67 são imagens obtidas com uma câmara gama, com um SPECT, ou com máquinas híbridas SPECT/CT.

O Gálio 67 liga-se às moléculas doentes indicando onde estão e qual o grau do estado destas doenças:

-Tumores e Câncer
-Inflamações
-Infecções e tanto agudas como cronicas
-Gálio é particularmente útil em imagiologia osteomielite que envolve a coluna vertebral
-Imagiologia de infecções cronicas mais antigas e que podem ser a causa de uma febre de origem desconhecida

Mecanismo
O corpo geralmente lida com o Ga3+ como se fosse ferro férrico (Fe-III) e assim, o íon livre de isótopos se liga (e concentra-se) nas áreas de inflamação, tais como o local da infecção, e também áreas de divisão celular rápida. Gálio 67 (Ga 3+) se liga a transferrina, leucócitos lactoferrina, sideróforos bacterianos, proteínas inflamatórias e de células-membranas em neutrófilos, vivos e mortos.
Esta ligação com o gálio relativamente não específica permite que locais com tumor, inflamação tanto aguda como infecção cronica a serem detectadas pelas técnicas de verificação nucleares do exame.

Usos mais comuns na medicina
No passado, a verificação de gálio foi o padrão para o diagnóstico do cancro e estadiamento, até que foi substituído pela tomografia por emissão de pósitrons utilizando-se fludesoxiglicose.
O gálio ainda é usado para detectar as inflamações e infecções cronicas, e ainda, por vezes, localiza tumores não suspeitos quando estes são é ocupados por muitos tipos de células cancerosas em quantidades que excedam os de tecidos normais. Assim, um aumento da captação de gálio-67 pode indicar uma nova ou velha infecção, um foco inflamatório por qualquer causa, ou um tumor canceroso.

Ga-67 funciona como um análogo de ferro, ligando-se a quaisquer proteínas que se ligam ao ferro. Inicialmente se liga a transferrina. Partindo do princípio de um fluxo sanguíneo adequado, o complexo difunde-se através das junções endoteliais de capilares soltos em locais de inflamação e entra no fluido extracelular.
Leucócitos migram para locais de inflamação e desgranulam, liberando grandes quantidades de ligação do ferro lactoferrina. Ga-67 tem uma afinidade mais elevada para a lactoferrina de leucócitos do que para a transferrina no soro, e de modo a seguir a concentração de leucócitos. O isótopo pode, assim, ser utilizado na detecção de abcessos que provocam uma resposta de leucócitos, incluindo abcessos que são “estéril” (livre de bactérias, ou de bactérias de vida).

Ga-67 também confere às moléculas de sideróforos de bactérias em si, e por essa razão pode ser utilizado em pacientes leucopênicos com infecção bacteriana (aqui que se liga diretamente as proteínas bacterianas, e leucócitos não são necessários).

Sugerido-se que o gálio pode tornar-se uma técnica obsoleta, com imagiologia de índio leucócitos e a técnica de antigranulocyte substituindo-o como um mecanismo de detecção de infecções.
Para a detecção de tumores, especialmente os linfomas, o gálio está ainda em uso, mas podem ser substituídos por fluodesoxiglucose imagem PET no futuro. O PET CT ou PET SCAM ainda é um exame muito caro nos dias de hoje.

Em infecções, a verificação de gálio tem uma vantagem sobre imagiologia de índio dos leucócitos (também chamado de índio-111 de verificação de células brancas do sangue) na imagiologia de osteomielite (infecção óssea) da coluna vertebral, infecções pulmonares e inflamação, e por infecções cronicas. Em parte, isso é porque gálio se liga a membranas de neutrófilos, mesmo após a morte de neutrófilos. A Imagiologia de leucócitos com índio é melhor para infecções agudas, também para a osteomielite que não envolve a coluna vertebral, e para as infecções abdominais e pélvicas. Tanto a varredura gálio e imagem com de leucócitos com índio podem ser usados para a imagem de febre de origem desconhecida (temperatura elevada sem uma explicação). No entanto, a imagem fará a varredura com índio com sucesso somente em 25% dos casos que são causadas por infecções agudas, enquanto gálio também localiza outras fontes de febre, como infecções crônicas e tumores.

Indicações comuns (usos específicos) do Gálio-67
Pesquisa de corpo inteiro para localizar uma fonte de febre em pacientes com febre de origem desconhecida (FUO).
Detecção de inflamação ou infecção pulmonar e do mediastino, especialmente no paciente imunocomprometido.
Avaliação e acompanhamento de linfocítica ativa ou processos inflamatórios granulomatosas como sarcoidose ou a tuberculose.
Diagnosticar osteomielite vertebral e também infecção dos espaços em discos onde Ga-67 é mais eficaz na marcação dos leucócitos.
Diagnóstico e acompanhamento no tratamento médico de fibrose retroperitoneal.
Avaliação e acompanhamento de toxicidade pulmonar induzida por drogas (por exemplo, bleomicina, amiodarona)
Avaliação de pacientes que não são candidatos para verificações WBC (contagem WBC menos de 6.000 e / ou acesso pobre).
Note-se que todas estas condições também são detectadas em exames de PET SCAM usando o gálio-68, que tem as mesmas características químicas como Ga-67.

Técnica
A técnica usa cintilografia para produzir imagens bidimensionais. Após o marcador ser injetado no paciente, as imagens são obtidas por um equipamento com uma câmara gama em 24, 48, e em alguns casos, 72 e até 96 horas depois. Cada conjunto de imagens demora ente 30 a 60 minutos, dependendo do tamanho da área a ser pesquisada. A imagem resultante terá áreas brilhantes que recolheram uma grande quantidade do marcador, onde a inflamação e divisão celular presente ou rápida está ocorrendo. Tomografia por emissão de fóton único imagens (SPECT) também podem ser adquiridos. Em alguns centros de imagem, imagens SPECT pode ser combinado com a tomografia computadorizada, varredura usando um software de fusão ou câmeras híbridas SPECT / CT para sobrepor informações da imagem fisiológica na verificação de gálio, e informações anatômicas da tomografia computadorizada.

Doses de injeção variam de 3 a 6 mCi. As imagens geralmente não devem ser colhidas antes de 24 horas, pois antes desse prazo podem produzir falsos negativos. Para as imagens de corpo inteiro 48 horas são adequadas. SPECT pode ser realizada, conforme necessário até uma semana após a injeção do contraste se o paciente tiver o intestino complicado. Laxantes orais ou enemas podem ser dados antes das imagens para reduzir a atividade do intestino, no entanto, a utilidade da preparação do intestino é controversa.

10% a 25% da dose de gálio-67 é excretada nas primeiras 24 horas após a injeção (a maioria dos quais são excretados através dos rins). Após 24 horas a principal via de excreção é cólon. O “órgão-alvo” (órgão que recebe a maior dose de radiação na digitalização média) é o cólon (intestino grosso).

Áreas onde Ga-67 normalmente se concentra incluem: O Fígado (local de maior absorção), medula óssea, baço, glândulas salivares, nasofaringe, glândulas lacrimais, mamas (especialmente em mulheres grávidas e lactantes), rins e bexiga (nas primeiras 24 horas e uma captação mais fraca ainda pode ser normal por até 72 horas), a captação difusa pulmonar leve (em 24 horas ou menos) Algumas distribuições do Gálio 67 no tecido de crianças diferem das dos adultos nas placas de crescimento, baço, timo.


Cintilografia de corpo todo com Gálio 67


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *